Vagina, a parte mais triste do corpo de uma mulher

sex

foto via tumblr

Uma vez me deram um livro sobre sodomia e libertação sexual. Era um best seller autobiográfico e todo poético, mas que poderia ser resumido mal e porcamente com algum verso de funk, no estilo “essa merda é minha, dou pra quem quiser”. É claro que era algo que teoricamente mudaria o meu jeito de ver o sexo e todas as questões que lhe envolvem antes, durante, depois e ao lado de quem, mas não mudou nada.

Não sei se sou super feliz assim, não sei se não tenho curiosidade alguma nas santinhas ou nas putonas, mas o livro me passou batido. Foi como se eu tivesse lido centenas de páginas de relatos pra dizer “que bom pra você, escritora”. É claro que a bela obra chegou a mim através de um homem, este que provavelmente tinha algo a dizer com isso, e bem, não conseguiu.

O fato foi que li o tal do livro unicamente porque tinha ganhado, e porque faz parte comentar o que achou do livro com quem te deu, especialmente quando o outro ser humano em questão também já o havia lido. Em meio a meia dúzia de momentos excitantes relatados, só  guardei bem um ensinamento, e não posso nem dizer que foi uma frase, foi uma lição mesmo, já que perdi a citação correta e perdi também o livro – perdi, joguei fora ou esqueci de guardar bem guardado só de raiva, sabe como é?

Em meio a milhares de linhas autobiográficas sobre como ela passou de certinha ao extremo oposto, altamente sexual, a única coisa que me prendeu foi quando ela disse: “a vagina é a parte do corpo mais triste de uma mulher”, ou algo do gênero. A autora fez tal afirmação para explicar porque se depilava sempre de última hora. A razão era não correr o risco de ficar esperando um amante à toa e o “embelezamento” não ser utilizado.

Isso para mim valeu o livro. Não pela depilação de última hora, até porque de libertário isso não tem nada, mas por resumir o quanto de expectativa criamos, nós mulheres, em cima da hora H. Inclusive você aí, libertária.

Ficamos esperando, nos preparamos, programamos aàs vezes,  compramos a lingerie certa para a data certa, passamos perfumes, arranjamos velas modernas que prometem ter cheiro disso e cor daquilo e morremos um pouco (muito) por dentro quando largamos tudo isso em casa. E aí você olha para você mesma e diz: relaxa (!!).

Revistas, programas de tv e meia dúzia de livros nos doutrinam sobre quantas vezes temos de gozar e como fazer o strip tease perfeito, mas inteligentes que somos, não damos ouvidos e não nos deixamos mais levar. Na tentativa de equilibrar a balança, colocamos um pouco de ousadia em pequenas coisas. A revista é só um guia – e se 10% forem alcançados, well done, girl.

O interessante é que nenhum destes meios, nem sua amiga comedora, se ocupa de dar uma dica resumida do que fazer quando tudo der errado. Levar com bom humor? Nem sempre é possível. Quando for, pode crer que o faremos, especialmente quando a culpa é do outro, quando o probleminha é do outro. Acontece, e se nunca aconteceu, vai acontecer.

Agora como lidar feliz com aquela lingerie caríssima que saiu do armário uma única vez? Ou como reagir bem com aquela peça que nem chegou a sair do quarto, pois na hora de provar você simplesmente achou que não estava tão bem assim e deixou para lá? E o que dizer, então, dos brinquedinhos de sex shop para serem usados a dois que você tomou coragem de comprar, mas jamais saíram da gaveta? Será que toda a tensão de receber o pacote marrom da loja online foi em vão?

Bom. E aquele presente que você se deu? O vibrador com passagem garantida ao sétimo céu, recomendado em “Sex And The City” e confirmado por aquela mesma sua amiga? O danado está tão bem guardado, mas tão bem guardado, que ninguém consegue achar, muito menos você, que dirá quando quer.

Expectativas geralmente estão aí para te foder. Elas servem para isso e te fodem bem do jeito que você não quer. Explico: se o fato superar o que você tinha em mente, será como se tivesse sido o mínimo. Se coincidir, você não terá surpresa alguma. E se ficar abaixo? Se ficar abaixo grande coisa, foi sempre assim.

Bem lá no fundo, quase no colo do útero, a vagina é só uma metáfora quente para as picuinhas broxantes de nossas cabeças. Sexo é bom, é ótimo!, e com ele, elas vão e vem, somem e nascem, mais rápido ou mais devagar, relaxa que passa!, mas só nós sabemos o quanto essa pequena se fecha um pouco mais quando um ponto de interrogação faz pouso em nossas cabeças.

.

ps: não citei nem o  lado do homem na questão, acho que não precisa. Em todo caso, se algum representante da ala masculina quiser opinar, será interessante.

Comentários via Facebook

23 comentários

  1. Rafa

    Gostei muito do post! principlamente por retratar nossas expectativas que as vezes são infundadas ou nao correspondidas! me fez pensar um pouco mais sobre todo nossa investimento em relação a TUDO! Parabens!

    Responder
  2. Duba

    Bom, vou dizer por mim que não sou lá um standard de homem, mas ainda faço parte desse grupo seleto. Também me preocupo com a hora H, digo mais, nós homens tendemos a nos preocupar mais. Homem tem que ter ereção e tem que gozar – mulher num precisa de nenhum dos dois…
    Eu tendo a discordar dessa história de parte mais triste, até porque a maioria delas me pareceram sempre muito felizes…hehehe.
    Mas concordo plenamente que a minha cabeça fode muito mais do que aquele que deveria ser o maior fodedor…
    Bejio, Fernanda!!

    Responder
  3. Tayná

    Fê (pode ter essa intimidade?rs), nunca comentei mas sempre acompanho o blog. Mas dessa vez preciso comentar: Adorei o texto!
    ” Expectativas geralmente estão aí para te foder.” E digo mais, sempre nós fodem!
    É incrível como temos o poder de criar coisas nas nossas cabeças, coisas que até nós sabemos que não podem acontecer…
    Mulher é mesmo uma coisa complicada.. a gente cria um sentimento, um momento, um olhar, uma cena..
    Enquanto pro homem sexo se resume em gozar. Mesmo que haja amor.. vejo isso pelo meu namorado.
    Enfim, acho difícil mudar.

    Beijoss

    Responder
  4. Vanessa

    adorei o texto e concordo com você e acho que não é só no sexo que a expectativa fode tude,é em quase todos os casos.

    Responder
  5. Ingrid Guimarães

    Nossaa, adorei o post… Recebi um e-mail falando sobre a expectativa da mulher antes de sair, as comprinhas, salão, a ansiedade… Aquele tipo de e-mail que vc lê sorrindo e concordando. Bom, aconteceu novamente aqui. Coisas pra refletir.
    Gostei do blog, voltarei sempre =*

    Responder
  6. Isabella

    Livro da Tony Bentley?

    Lembro de algo do tipo… Especialmente quando ela diz que se depila na última hora, bem pouco antes do cara chegar porque diz que não há nada mais triste do que estar depilada… E não encontrar ninguém…

    Responder
  7. Audaz

    Ah, eu particularmente não curto vaginas.

    Responder
  8. Luana

    Cara, você falou tudo! Expectavias estão sempre por perto na nossa vida… Mulheres são obsecadas de certa forma. Meu namorado sempre me diz “Você tá bem, vocÊ tá linda”, mas eu estou lá, ansiosa, querendo sempre atingir as expectativas frequentes da minha vida. É dose.

    Responder
  9. Gabby

    Muito legal seu texto!!! Acho q vc conseguiu criticar a banalizacao do sexo s/ ser moralista e tal… Qdo era mais nova eu achava que as mulheres como essa do livro, eh q sabiam viver e que minha criacao catolica eh q tinha comprometido minha liberdade… naum tenho nada contra sexo casual, one night stand, ou sei lah o q, mas particularmente acho q tem gente q pratica e termina se sentindo mais sozinha do que antes…

    Responder
  10. LOah

    Ameiiiii exatamente tudo o que pensamos e mais criamos um mundo ilusorio de que tudo tem que ser perfeito,sem celulite,sem estrias sem aquela gordurinha localizada acima da cintura…
    Nós punimos a toa pois no fim tudo isso que planejamos a semana toda e despida literalmente em um segundo pelo home lingerie,medos, imperfeições e etc eles não ligam não reparam o importante e chegar no climax…
    QUando isso é possivel e claro pois não está na cara que haverá uma quimica bacana entre 4 paredes e muito menos que receberemos um telefone no dia seguinte pra saber..Você es´ta bem…
    Enfim
    Valeu pelo post sigo o seu blog e continue escrevendo
    Beijos *_*

    Responder
  11. Belo Post! Sou da equipe da Zoé, uma marca mineira novíssima e queria te convidar a conhecer nosso blog (zoemoda.blogspot.com). Beijos!

    Responder
  12. denise

    Olá! Primeira vez q leio seu blog, e esse post me chamou a atenção.. achei pelo link q vc criou em outro post, mais recente. Enfim, normalmente sou daquelas que nunca cometam, mas seu texto foi um insight gigante pra mim.. especialmente a frase “Expectativas geralmente estão aí para te foder. Elas servem para isso e te fodem bem do jeito que você não quer”.

    Sempre crio altas expectativas com as coisas, e isso é muuuito ruim. Vou colar sua frase no meu espelho.. e ler sempre hehehehe..
    bjsss

    Responder
  13. LUREX

    Engraçado. Os homens (em especial, os brasileiros) não sabem disfrutar de uma bela cia feminina. Na cama, inclusive. E sim, expectativas são uma merda.

    Responder
  14. evandro

    Parabéns pelo poema em forma de post. Quando existe amor, necessarianmente nãp precisa de tantos preparativos etc. O Tesão do foder tá no amor, no carinho e tanto faz ser na cama, no quintal, banheiro ou qualquer lugar.Assim como pessoas, existem vaginas lindas e feias. Melhor é acontecer sem preparativos, é só deixar rolar…

    Responder
  15. Neto Brito

    Concordo em partes com o evandro e no meu ponto de vista a tayná precisa mudar o namorado ou de namorado, existe sim o lance da mulher se cuidar e manter tudo bonitinho.
    O que causa a expectativa é quando há o excessso, acho que é mais difícil o prazer quando há expectativa demais e tudo tem sua hora e momento.
    Me preocupo sim que ela tenha o orgasmo, se for pra gozar por gozar ,faço sozinho.
    Pra fazer amor tem que ter começo, meio e fim, depois gozar e por último relaxar, assim fica sempre o gostinho de quero mais.

    Responder
  16. Marcus Silva

    o livro é Histoire d’O por acaso?

    Responder
  17. Fernanda

    Marcus Silva on 19/01/2011 at 12:55 pm said:

    o livro é Histoire d’O por acaso?

    não, é “a entrega”!

    Responder
  18. jose

    id te quero

    Responder
  19. jose

    casa com migo

    Responder
  20. Marcio

    muito bom o poste,porem existem homem diferentes no mundo,aqueles que se preoculpam com o prazer da mulher,mas nao é so de sexo que se da o prazer,ter uma agradavel companhia,desfrutar o melhor da vida,sentir carinho,amor,ser feliz nao so na cama ma em todos os momentos da vida.beijos

    Responder
  21. Jeff Skas

    Em resumo bem resumido, um cupcake certamente é mais gostoso visualmente que de fato é ao paladar. Cada mulher frustrada com sua vida sexual ou amorosa, ignora o fato concreto do seu auto-boicote, induzido por sua incapacidade de perceber o óbvio. Necessidade gera distorção da realidade.

    Já ouviu falar do conselho de nunca ir ao mercado em jejum? Quando você vai ao mercado sem ter comido nada, certamente comprará muito mais produtos de consumo rápido, para saciar sua fome rapidamente.

    Depois se arrepende de ter comido tanta porcaria…

    Responder

Deixe seu comentário