Feb

03

The IMAX Experience: “Avatar”

Arquivado em cinema, Curiosidades

Sem spoilers, juro e prometo. Mas prometam que vão assistir esse filme no IMAX, tá? Sim, no Imax. Baixar ou ver em qualquer cineminha 3-D não vale!

James Cameron  com Sam Worthington, protagonista de “Avatar”

Você levanta de manhã, pega seu jornal, faz um afago na cabecinha do cachorro. Veste um roupão, calça os pés numa pantufa felpuda e desce os 350 degraus da escadaria de sua mansão lentamente. Dá bom dia para o James. Dá bom dia para a dona Mercedez. Senta à mesa e morde um brioche, beberica um cafézinho, abre o jornal e lê: “‘Avatar’ supera ‘Titanic’ nos livros dos recordes”.

Até aí, normal. Notícia de cultura, de cinema, da Ilustrada. Mas imagine que você, que afagou o cachorro (e passou mais manteiga no pãozinho depois de ler isso), é James Cameron, o diretor responsável pelos dois maiores lançamentos da história do cinema: “Titanic”, e agora “Avatar”. E imagine que, depois disso, você pode levantar e ir até o troninho fazer um número dois e acompanhar o restante da notícia dispondo de rolos de filme 35mm para limpar a buzanfa. Sim, porque você só pode estar trilhardário neste exato momento!

Tá, piadas à parte, eu assisti “Avatar”.  Com muita luta, cartão de crédito e antecedência de 12 dias, conseguimos comprar pela internet entradas para assistir a segunda maior bilheteria da história – até semana passada faltavam míseros 2 milhões para o filme dos seres azuis chutar de vez “Titanic” do topo do ranking e, bem, depois disso parei de acompanhar porque eu, pessoalmente, prefiro Jack e Rose a Jake e Neytiri (sim, os rapazes tem nomes parecidos).

O bafafa era grande e eram também trocentas e uma acusações de plágio por parte do sr. Cameron com relação ao roteiro de seu longa. Primeiro compararam o argumento do dito cujo com o de várias histórias em quadrinhos, depois compararam-no take a take com “Star Wars” e, por fim, até “Pocahontas” entrou na dança (e se você não quer spoiler, rezo para você não ter visto “Pocahontas”, porque tem certa semelhança mesmo aí, fazer o que):

argumento de “Pocahontas” rabiscado para virar o argumento de “Avatar”

Saímos de casa sem esperar muita coisa. Apesar de todo o bafafá, tenho uma certa resistência com filmes que prezam por muita ação e pouco conteúdo dramático, principalmente quando o maior falatório fica em torno da tecnologia e dos efeitos especiais – e o Rafa estava comigo nessa.

Quer dizer, na minha humilde opinião, não é preciso desenvolver um software durante 12 anos para contar uma boa história. Desenvolver um software durante tanto tempo pra contar uma história tão acusada de plágio me dá, na verdade, é uma bela preguiça.

Mas fomos. Primeiro que o Imax do Boubon Pompéia (infelizmente o único de São Paulo, por enquanto) tem lugares marcados e não se assuste se muitos infelizes da sala não respeitarem isso. Um conselho? Tente chegar cedo e sente logo no lugar que comprou. É bem capaz de que se você chegar com as luzes apagadas tenha de tirar algum engraçadinho da sua poltrona.

Sendo assim, após gongarmos dois engraçadinhos de nossos assentos, colocamos os óculos 3-D mais pesados de nossas vidas e mergulhamos num universo de luzes e cores numa tela gigantesca (do chão até o teto!) com o suporte de um som envolvente.

parte da expedição em Pandora: Jake (Sam Worthington), Grace (Sigourney Weaver),
Norm (Joel Moore) e Trudy (Michelle Rodriguez)

Sem muitas explicações nem muitas delongas, James Cameron nos leva para um mundo novo: para Pandora. Lá, humanos gananciosos tentam a todo custo extrair um precioso minério e trazê-lo de volta para a Terra e assim ficarem ricos, milionários e essas coisas todas que norte-americanos vilões querem à custa alheia.

O problema é que a convivência com os nativos, os Na’vi, não é nada pacífica, e daí surge a ideia de criarem os tais “avatares”, espécie de corpos criados a partir da mistura do DNA humano com o nativo para tentar conversar de igual para igual com a população.

Os “bonecos” criados pelos humanos se embrenham na selva de Pandora e tentam se misturar e enfrentar as criaturas bizarras que por lá existem. O ambiente é lindo e  brilhoso, mas não se engane, pois nunca se sabe quando um brontossauro misturado com mamute de seis patas pode querer te perseguir  num ambiente tão inóspito e com ar tão carregado de gases tóxicos que qualquer pessoa morreria em segundos sem uma máscara de oxigênio.

Bem, a parte dos bonecos todos já devem ter entendido, afinal falaram só um pouquinho do filme por aí, então não vou prolongar muito: eis que no meio do antro do exército humano, no meio daqueles que planejavam mesmo era detonar tudo, queimar os bichos azuis e pronto, surge um rapaz iluminado que consegue estabelecer uma conexão com a população local de forma jamais vista.

Jake (Sam Worhington, de “Exterminador do Futuro – Salvação”) é tipo o messias, o iluminado, o_cara, e quase não vai para a missão, pois ele está ali apenas substituindo seu irmão gêmeo falecido,  seu duplo-nerd que havia estudado Pandora por anos e anos e estava tendo seu “avatar” criado em laboratório por bizilhões de dólares. Jake, além de não saber de nada sobre o planeta onde foi parar, é paraplégico e conta só com as habilidades de um fuzileiro que faz piadinhas sem graça.

Neytiri (Zoe Saldana) e Jake na versão avatar (Sam Worthington)

Enquanto vemos Jake redescobrir como andar e descobrir Pandora com os pés e pernas de seu avatar, tomamos um banho com belíssimas imagens e com um efeito 3-D absolutamente nada viciado. Não pense em ver flores caindo em cima dos seus olhos ou tiro voando na direção dos seus ombros: pense que você simplesmente vai ver tudo muito mais de perto.

James Cameron foi capaz de criar um ambiente extraordinariamente belo, valorizar cada suspiro de interpretação dos atores por trás de uma animação e inventar criaturas bizarras para nenhum filme de terror botar defeito – e tudo isso com uma guerra E uma história de amor à la Romeu e Julieta rolando no plano de fundo: ele, humano, ela, uma Na’vi prometida.

Sem fazer spoiler, preciso dizer que pensei ao sair do cinema: a conclusão da trama é até um pouco surpreendente se você tiver dormido em algumas partes do filme ou tiver piscado em momentos marcantes, boquiaberto com tantas cores flutuando na tela. Mas, ok, vamos lá, quem viu (ou vai ver) pense comigo: será que Jake tinha realmente uma alma tão boa? Será que ele realmente aderiu a causa da Dra. Grace? Ou será que ele simplesmente não tinha nada a perder e achou melhor ser importante em outro planeta e ter suas pernas de volta? Ou seja, será que ele era tão egoísta quanto os outros americanos? …

Com seu Jake, James Cameron também cumpriu a saga do herói à risca, o que, à bem da verdade, é meio maçante. Desde a sua descoberta e suas primeiras provações até ele finalmente ser reconhecido como tal. Com seu “Avatar”, tio Cameron conseguiu apresentar ao mundo uma nova forma de ver cinema através de uma narrativa extremamente clássica, porém com roupagem moderna e flúor e com preocupação de ambientalista.

Se o roteiro é bom? Não, e provavelmente você já viu melhores. Porém, é uma história simples, que exige pouca atenção e muita emoção para se envolver e talvez seja este o segredo para poder testar tanta tecnologia, já que provavelmente uma trama mais intruncada ou dramática deixaria os efeitos no plano de fundo da importância (e isso explica também porque foi preciso dividir “Matrix” em três filmes para fazer uma franquia de sucesso).

Não tente analisar “Avatar”, apenas sinta e aproveite. Para fazer isso, só posso recomendar que você corra até o Imax. Compre seus ingressos antecipadamente e vá, pois infelizmente Jaiminho não se lembrou que as humildes TVs com home theatre que temos em casa não reproduzem em nada a sensação de tela gigante e imersão causadas na sala de cinema.

Por fim, que mais? Boa sorte, James Cameron! Apesar dos pesares, “Avatar” realmente já mudou a forma como pensamos entretenimento e é por esta razão que é um dos filmes campeões de indicação ao Oscar de 2010. Se irá ganhar a premiação principal da noite? Acho que não. Porém as categorias técnicas, deve levar todas…

.

ps: talvez o único bônus em comprar o DVD depois seja assistir a cena de sexo curiosa entre os Na’vi, que foi cortada da versão final do filme por conta da classificação etária.

Você também poderá gostar de:

Postado por Fernanda Pineda

Tags: , , , , , , , ,


22 Comentários (Adicionar o seu?)

  1. [...] http://fake-doll.com/2010/02/03/the-imax-experience-avatar/Sem spoilers, juro e prometo. Mas prometam que vão assistir esse filme no IMAX, tá? Sim, no Imax. [...]

  2. Monica
    Feb 03, 2010
    12:24:47

    Vou assistir esse final de semana, mas não vai ser no IMAX porque aqui não tem – mas já é melhor que sem 3D. =P

  3. Rafael Venturelli
    Feb 03, 2010
    12:52:08

    É um filme revolucionário, sem dúvida. Mas achei a história tão chata que fiquei decepcionado…

    Um filma para apreciar e não para discutir, concordo com vc…
    Bjos <3

  4. Nicas
    Feb 03, 2010
    13:21:25

    Primeiro eu agradeço profundamente por eu finalmente entender o que é o bendito do argumento do filme!

    Bom, é uma grande Pocahontas (com os personages vestidos de Smurfs, ok). Acho que no fundo o tio Cameron pegou qualquer história que fosse simples para poder carregar na parte dos efeitos que era o interessantes pra ele. Gostei mas não assistiria em DVD acho que toda a graça do filme está no 3D (e eu não parava para assistir toooooda aquela batalha mais uma vez de jeito nenhum, uma vez já deu para o gato, foi bom e ponto).

    Beijo

  5. Alice Désirée
    Feb 03, 2010
    15:37:27

    Eu fui pro cinema e vi o filme normal, sem 3D nem nada paparicado pq eu n conheço nenhum cinema no Rio que seja IMAX…Mas quando saí de lá eu vi como um filme blockbuster como outro qualquer, não tirei nenhuma crítica subliminar dali…No entanto, qnd eu li a crítica do jornal O Globo, minha abriu completamente! rsrsrs…Vc deveria ler também!
    =1

  6. Thais
    Feb 03, 2010
    16:37:55

    Eu vi também faz uns dias, gostei muito, mas ontem reassisti Matrix e… também encontrei muitos elementos parecidos neh…
    bjs

  7. Mari
    Feb 03, 2010
    17:10:10

    Eu não gostei muito do filme e os óculos (Lady Gaga Feelings) realmente eram enormes e pesados, incomodava. Só gostei do IMAX pq no mesmo shopping tem o Café Hello Kitty, hahaha XD.

  8. Daniel Bello
    Feb 03, 2010
    23:49:22

    Tá… Mto similar à Pocahontas, e com um apelo à degradação ambiental, tema recorrente de hoje. Mas e Iracema, nada a ver com nenhum dos dois?

  9. Diego
    Feb 04, 2010
    09:53:35

    Vi o filme segunda agora (não no IMAX – inveja) e também não curti muito o roteiro. Além de simples, o filme parece longo demais lá pela metade. Ao menos pra mim foi assim. Foi como assistir dois filmes seguidos. Dois filmes de ação do Steven Seagal “feat.” Disney World.

  10. michelli
    Feb 04, 2010
    11:23:26

    inveja ao cubo.
    Queria muito assistir em 3d, nem ligo se não for IMAX… mas deve ser divino!

  11. Ellen Melo
    Feb 04, 2010
    16:24:41

    Gosto da sua forma de escrever. Adoro blog e todos os seus posts. Não assisti Avatar ainda. Serio. Preguiça das filas grandes que lotam o cinema até hoje. Mas adorei tua resenha. :*

  12. Mariana
    Feb 04, 2010
    20:12:14

    Aqui na minha cidade não tem cinema 3d, vi no kinoplex normalzão mesmo D:
    Mas valeu a pena. É extraordinário o filme, é sensitivo.
    A por sinal, também gosto da sua forma de escrever. Eu tento escrever séria e direita no meu blog sabe rs. Mas não dá DHAIODHAIOD é contra minha natureza.

  13. Nary
    Feb 05, 2010
    01:49:08

    Só fui assistir o filme porque era em 3d e só valeu porque era em 3d. Achei a história bem fraquinha também mas a experiência de filmes em 3d é ótima, pena que em Natal não tem IMAX pq a Alice vai ser um filme que com certeza vou ver em 3d. :)

  14. Ana Carolina
    Feb 05, 2010
    01:51:20

    Assisti ao filme duas vezes. Uma normal e outra em 3D. Aqui no Rio essa história de lugar marcado já tem um tempo ( acho até que todos aqui já sao assim ) , mas também não impede que aconteça o mesmo que ocorreu contigo. =/
    Amei o fimle e tbm fui sem esperar nada ( quando assisti ao trailer lembro até de ter torcido o nariz) mas saí do cinema impressionada. Da segunda vez e depois de muita espera consegui assitir em 3D e fiquei ainda mais impressionada com a beleza e qualidade do filme. Sério…me impressionou.
    E concordo com o vc diz em relação ao Oscar até pq o repertório do cinema 2009 está poderoso. Esse ano a dísputa vai ser boa. na minha opinião o melhor que vi foi Bastardos Inglórios.
    Ahh e parabéns mesmo pela formatura. Tudo de bom !
    beijos Fê !

    p.s.: leio o blog há mto tempo e acho que só comentei uma vez hihihi…dá pra enteder pq não comento né! Escrevo muitoo ! >.<

  15. Ana Cabeça
    Feb 05, 2010
    05:01:33

    Fui na pré-estréia de Avatar, eu estava muito ansiosa para assistir e o filme superou minhas expectativas. Na estréia assiti normal, e depois vi em 3D. Preferi no “normal”, não sei porque mas o áudio do 3D não estava bom e a imagem ficava embaçada nos cantos sempre. E o problema com certeza não era com o cinema, pois o “normal” eu assiti em um cinema SUPER antigo e o 3D no Cinemark.
    Eu gostei MUITO do filme. Achei super bacana a hierarquia dos Na’vis e a forma como eles vivem e amam aquele mundo. A mensagem que passam com aquela arvore das almas que (pra mim) simboliza a nossa natureza, e que no final é a ela que eles recorrem para salvar o mundo deles. E com essa historia de aquecimento global é bem típico esse tipo de mensagem.
    Enfim, amei esse filme. Chorei, ri, interagi com ele enquanto assistia. E vou comprar o DVD assim que começar a pré-venda.
    Beijos.

    p.s.: amei o post. A forma como você escreve é sempre ótima!

  16. Amanda
    Feb 05, 2010
    19:47:48

    Não seria aquela Ana Lucia?! #lost

  17. Fernanda
    Feb 05, 2010
    20:30:19

    Amanda on February 5, 2010 at 7:47 pm said:

    Não seria aquela Ana Lucia?! #lost

    Ana Lucia? Não entendi. rs

  18. Van
    Feb 07, 2010
    14:39:13

    Não vi em 3D pq na minha cidade não tem,vi no cine normal mesmo.
    Achei bem meia boca,na há nada de original no roteiro nem de emocionante,como ja foi dito por varias pessoas,sem contar a mensagem “subliminar” sobre ambientalismo que não achei legal.Se é pra ver um blockbuster,previro mil vezes os filmes inspirados na marvel

  19. Gabi
    Feb 08, 2010
    10:50:37

    Oi, Fernanda! Quero apenas dizer que sua análise do filme foi a melhor que vi. Gostaria muito que BH tivesse uma sala IMAX, mas a gente se contenta com o 3D “clássico”. Juro que me recusei ver o filme se não fosse 3D… já que precisava sentir essa magia que tantos falavam. O roteiro deixou a desejar, mas me encantei muito com as cores!
    Parabéns pelo belo post! =)

    Beijo!

  20. Fernanda
    Feb 08, 2010
    10:53:28

    Gabi on February 8, 2010 at 10:50 am said:

    Oi, Fernanda! Quero apenas dizer que sua análise do filme foi a melhor que vi. Gostaria muito que BH tivesse uma sala IMAX, mas a gente se contenta com o 3D “clássico”. Juro que me recusei ver o filme se não fosse 3D… já que precisava sentir essa magia que tantos falavam. O roteiro deixou a desejar, mas me encantei muito com as cores!
    Parabéns pelo belo post! =)

    Beijo!

    puxa, fico feliz! E se um dia vier a São Paulo, já inclua uma visitinha ao IMAX no roteiro! Vale a pena, pelo menos para conhecer. E o próximo “grande” filme que vai estar por lá é “Alice no País das Maravilhas”. Já tem até cartaz avisando! ;)

  21. Fernanda
    Feb 08, 2010
    10:54:40

    Van on February 7, 2010 at 2:39 pm said:

    Não vi em 3D pq na minha cidade não tem,vi no cine normal mesmo.
    Achei bem meia boca,na há nada de original no roteiro nem de emocionante,como ja foi dito por varias pessoas,sem contar a mensagem “subliminar” sobre ambientalismo que não achei legal.Se é pra ver um blockbuster,previro mil vezes os filmes inspirados na marvel

    concordo! hauhauha

  22. Lusinha
    Feb 25, 2010
    16:10:10

    Será que a cena de sexo se dá com eles conectando os rabos? hihihi Só para tirar um sarro.
    Eu gostei do filme, achei o máximo e não foi pela história, foi pelos efeitos especiais mesmo.
    Bjitos!

  23. rafael santos gomez
    Nov 27, 2010
    18:53:02

    nossa ficou maneiro quando eu fiz mais alguma menina quer fazer sexo comi go estou ao seu dispor meu msn e : rafael.titanick@hotmail.com tenho 39 anos
    obrigado

Comentar



Sobre a autora: Fernanda Pineda Vicente, também conhecida como @loverox, vivendo em São Paulo. Produtora formada em Rádio e TV pela Faculdade Cásper Líbero e atriz profissional eventualmente praticante. Apaixonada por cinema, música, moda, nerdices e gatos, adora postar por aqui achados e descobertas na web e na vida real.Veja o perfil
dTwitterYoutubeFacebook
Banner GIF Outlet 300x250Blazers e Suéters 300x250

Página Inicial | Domínio | Perfil | Arquivos | Links | Contato

Assine o Feed | 11 Users Online

Copyright © 2010 Fake-Doll. All rights reserved.