1 ano, 4 meses e 20 dias com (ou sem) a Summer

dom

Duvidei um pouco desse filme no começo por achar que ele usaria aquela fórmula do “casal moderninho”, mas me enganei. Entrou para os favoritos.

.

Joseph Gordon-Levitt, como Tom, e Zooey Deschanel, a Summer, em “500 Dias Com Ela”

Eu não sei vocês, mas eu lembrava do Joseph Gordon-Levitt de “10 Coisas que eu Odeio em Você” e olhe lá, já que no filme ele era o protagonista, mas totalmente eclipsado pelo rebelde sem causa interpretado por Heath Ledger.  O  fato é que o rapaz cresceu, não é mais um adolescente (nem parece) e agora faz o papel de um recém-formado que acredita no amor,  mas não acredita que pode ser feliz.

Fofo e um pouquinho loser, do tipo que perde o momento certo do primeiro beijo, o personagem Tom Hansen abandona a arquitetura, faculdade que cursou, para escrever cartões. Cartões de aniversário, de dia dos namorados, de condolências, de boa sorte e de qualquer outro tipo de coisa que “as pessoas querem falar e preferem que um pedaço de papel fale por elas”.

Um belo dia, seu chefe contrata uma nova assistente que resolveu mudar de cidade por puro tédio. Esta é a heroína Summer, vivida pela também cantora da ótima dupla She & Him, Zooey Deschanel. Ela é uma mocinha pela qual todo e qualquer homem poderia se apaixonar e que por isso mesmo causa alvoroço ao chegar num escritório repleto de senhorinhas, carente de um pouco de ovulação.

É praticamente instantâneo: rapazinho fofo e excêntrico detecta gostos em comum com uma gatinha estilosa e se apaixona. Como sua própria irmã mais nova – e mais experiente nos assuntos do coração que metade dos personagens – diz: “poderia ser ela ou qualquer outra. Vocês só gostam das mesmas coisas”.

Como o trailer anuncia, o filme não é uma história de amor e sim uma história sobre amor. E eu acrescento: sobre amar, ou sobre tentar. (Se você não viu o trailer, clica aqui)

“500 Days With Summer” ou “500 Dias Com Ela” nos conduz ao longo dos dias em que Summer e Tom tentaram ter um relacionamento e ao longo dos dias em que Summer já havia virado a página e apenas Tom ainda estava com ela.  Desde o início, a garota deixa claro que não quer um namorado, que não quer ser “a namorada de alguém”.

Eles vão ao cinema, passeiam por lojas de móveis, fazem compras, comem comidinhas diferentes, tentam inovar no sexo, dão risada, compartilham segredos e, enfim, fazem você que está em frente à tela se apaixonar por eles por menos apaixonada que esteja a tal Summer e por mais triste e mulambento que esteja o Tom, depois de levar o pé na bunda anunciado no próprio trailer.

O espírito livre da mocinha me lembrou Holly em “Bonequinha de Luxo” (1961), que alimentou a paixão em seu Fred e tenta fugir, mas descobre estar apaixonada realmente. Já Summer, não, talvez porque a esta altura já estejamos mais que liberados para contar uma história em que uma “mulher livre” rejeita um homem, e apesar de eu realmente gostar da trama de “Bonequinha…”, talvez se ele fosse rodado hoje o final seria diferente.

Em todo caso, são dramas que não se comparam. Aparentemente baseado em fatos reais, “500 Dias Com ela” discute os relacionamentos modernos de uma forma original e ao mesmo tempo sensível, nada parecida com a fórmula usada por estes últimos filmes à la “Ele Simplemente Não Está Afim de Você”. Desta vez, a questão principal é: o que você tem versus o que você espera.

Se você é uma Summer que tem medo ou não acredita que vai acontecer pra você, ou se você é um Tom que perdeu quem acreditava ser sua soulmate, assista.

Apesar do preconceito que o gênero causa, é uma comédia romântica para meninos e meninas sim!, com bons diálogos embalados por uma trilha sonora excelente (que eu vou comprar!), e uma edição que revira de ponta cabeça e trás pra frente os momentos desses dois que ficam muito bem juntos, mas… A vida estava lá e os separou. Simples assim.

Para quem quer ver o filme, download aqui. Quem quiser a trilha sonora, download aqui.

E se você realmente gostou e ficou querendo mais, assista o curta-metragem musical feito pelo diretor Marc Webb com Zooey Deschanel e Joseph Gordon-Levitt para divulgar o filme:

Comentários via Facebook

17 comentários

  1. AIslan Cagni

    Nossa! Eu adorei esse filme! Foi demais! Assiti logo na estréia com uma “amiga” hahahaha… sabe como é né… mais ou menos por ai!
    Estou baixando a trilha sonora já! sensacional!
    E realmente… me apaixonei total pela Summer! Que garota… na verdade sou apaixonado pela Zooey Deschanel… É bem o estilo de garota que eu gosto…
    Enfim… Recomendo, e muito!

    Responder
  2. AIslan Cagni

    Nossa… assiti o curta agora… como ela é linda!
    Ai ai…

    Responder
  3. Vitor

    Ah eu vou querer assistir sim! Parece mto bom e pela sinopse vou me apaixonar! Adoro comédias românticas ^__^

    Bjo
    Vi

    Responder
  4. Bruna

    ai quero muito assistir!

    Responder
  5. MillaFernandes

    Menina, esse filme tah em cartaz???
    fala serio aqui na tribo onde eu moro n entrou? owww queria tanto assitir
    bjo milla

    Responder
  6. Tati Reis

    eu gostei muito desse filme, mas pena a traducao ser 500 dias com ela, perde a piadinha do final XD

    Responder
  7. Michelli

    nossa que legal. Fiquei com vontade de ver. Achei que esse ator nunca mais faria nada rsss

    Responder
  8. fernanda

    O filme parece ser bom mesmo !
    Vou baixar se gostar te falo ok?

    bjocas

    Responder
  9. Camila

    Eu assisti esse filme ontem. Já conhecia o trabalho do Marc Webb com videoclipes e estava curiosa para ver como ficaria com uma hora e meia. Eu amei. Me surpreendeu pela história, pela edição, pelas piadas literárias de bom gosto, pelo química dos atores – tanto brincando quanto discutindo. Me apaixonei ainda mais pela Zooey e por incrível que pareça, também tinha pensado na Holly enquanto assistia! Resultou em amor total pelo filme. Quando sair no cinema daqui, com certeza vou ver de novo.

    Responder
  10. Monik

    Fê, amei o filme! realmente não tem como não torcer e se apaixonar pelos dois durante o filme!
    Valeu pela dica!

    Responder
  11. Janaina

    Agora deu vontade de assisti!!!
    Valeu a dica,
    Bjos, Jana

    Responder
  12. May

    Baixei o filme assim que lançou nos EUA, logo, ainda não tinha DVDrip, e eu, que tinha o maior preconceito em ver filmes em qualidade baixa, dei o braço a torcer e acabei me rendendo à qualidade TScam, tamanha a ansiedade. O audio tava ótimo, mas a imagem meio apagadinha, parecia filme antigo e ainda por cima tinha um contador chato no canto da tela! Nada disso estragou, assisti 3 vezes nesse formato e já tô fazendo planos de ver em Campinas (moro no interior extremo, logo é difícil chegarem filmes assim por aqui).
    Regina Spektor logo no comecinho já valeu o filme todo, se fosse ruim, eu já estaria conformada, mas a trilha só melhora ao longo da história, que também só cresce e leva pra um final inesperado (acho que todo mundo ainda tinha uma pontinha de esperança que eles fossem ficar juntos… Bom, eu tinha) e fofo :)

    Ah, só uma correçãozinha. o nome em inglês é “500 Days Of Summer” o que dá um duplo sentido de Summer, a garota e summer, o verão :D

    Responder
  13. May

    Aaai, desculpa o comentário duplo, mas precisava dizer que AMEI a comparação Summer/Holly. Bonequinha de Luxo também está entre os meus filmes preferidos, lista pra qual 500 Dias também entrou facinho :}

    Responder
  14. Guilherme

    Não achei o filme tudo isso não…no máximo uma comédia romantica acima da média.

    O destaque mesmo ficou para trilha que o cara soube encaixar fodasticamente nas cenas.

    Responder
  15. Sabrina Mix

    Oi, Nanda!

    Já baixei para assistir.

    Beijos e sucesso!!!

    Responder
  16. jullie

    Ai, preciso ver!
    bjus bjus

    Responder
  17. mikah

    assisti faz um tempinho… muiito bom… o final triste/feliz/ah queria ver o que acontece…. adorei! já estava cançada de chichês holliwoodianos, o filme veio a calhar, ainda mais que me vi em um espelho junto da personalidade de summer…

    Responder

Deixe seu comentário