Cásper Líbero: 4 anos, os saldos, as saudades.

qui

romeus e julietas

durante gravação em maio no Ibirapuera

Faltando quase um mês para a entrega de meu TCC, resolvi por na balança o que a faculdade me trouxe. Não estou falando de conhecimento,  nem de contatos,  muito menos de aulas chatas e minutos mal dormidos em cadeiras de um braço só desconfortáveis e bambas.

Estou falando do que a instituição faculdade te traz. Os amigos, um trote, uma briga em grupo, meia dúzia de desafetos, interação com outros cursos, paixões platônicas por professores e festas tão cheias de esbórnia que te fazem querer se enfiar embaixo da terra tão logo amanhecer a segunda-feira.

Entrei na faculdade cedo, com 17, e desta lista toda, vivi poucas, mas vivi outras coisas também. E talvez se eu entrasse na faculdade novamente, teria me jogado muito mais em alguns aspectos e deixado pra lá aqueles debates polêmicos de bixete achando que sabe alguma coisa. Não, eu não sabia de nada. Provavelmente ainda não sei, mas sabia menos ainda antes.

Algumas noites de sono não foram boas, outras foram tão boas que eu quis mais no meio da aula – o que fez a Lari praticamente criar um álbum com fotos de Fernanda dormindo com N cabelos diferentes (é verdade. Se um dia ela liberar as fotos todas, eu mostro as menos piores ou as com menos baba).

Alguns amigos vão ficar pra sempre, outros certamente vão passar e, como dizem, tem quem você mal conversava que vai virar uma pessoa mais que próxima. Isso ainda não sei, mas dos outros dois fatos, já tenho certeza.

Devo à faculdade ter aprendido a tomar cerveja com gosto, a(s) minha(s) primeira(s) bebedeira(s) e o certificado de graduação em armar barracas e desmontá-las depois na metade do tempo e com um quinto da disposição. Tudo graças ao JUCA e, em outros casos, a qualquer jogo do qual sua faculdade participe.

Aprendi que não se aprende por osmose, que não vão te cobrar jamais e que é bem possível fazer metade das provas sem estudar quando o estágio pegar pesado. Ao contrário da escola, ninguém torce para que você se dê bem, ninguém vai te chamar para conversar. Eles torcem para você se destacar.

E para se destacar, só depende de você.

Fico feliz de sair sendo reconhecida por nome e sobrenome pela maior parte dos “mestres”, coisa que no colegial jamais aconteceu durante três anos por eu não ser nerd o suficiente em química ou física, mas  ao menos  fui querida para os professores de humanas, porque eram essas notas que sempre me garantiam boa colocação na escola.

Não dou à faculdade o maior crédito pela prática de minha profissão, porque aprendi na prática: trabalhando, ralando e chorando com produções que caíam. Dou o crédito pelo conhecimento de causa, pela segurança de falar: faz assim, faz assado e tá errado. Dou crédito por notar, em plena conversa de bar, que posso falar sobre manipulação de informação com a mesma facilidade com que falo de planos de câmera, edição, trilha sonora e sobre como aquele ator é gato demais da conta.

Na verdade, o que aprendi na prática não foi a me comunicar, mas sim que devemos nos comunicar. Se está errado, fale.  Se não concorda, fale.  Se tiver que comprar briga, compre.  Se for lavar roupa suja, lave o cesto inteiro. Respire fundo e recomece. Todos vamos trabalhar em grupo e o modus operandi de um grupo também têm altos e baixos, também precisa morrer pra renascer com a idéia nova genial que vai dar aquele prêmio tão sonhado para cinco amigos sem um puto no bolso.

Se eu entrasse na faculdade hoje de novo (ou se eu entrar mais pra frente), vou me envolver mais, vou procurar mais, vou cobrar de quem está lá para me formar antes que eu me forme. Mas isso é só um “se”: o fato é que está terminando e a saudade aperta antes do tempo.

Aperta forte, aperta fundo, transborda meus olhos e eu nunca quis tanto que o tempo parasse para eu reviver melhor algumas coisas quanto agora.

Obrigada, Cásper.

Comentários via Facebook

21 comentários

  1. Thiago S. Rosa

    Guarde este texto para uma leitura no futuro. É sempre bom ter referencias de um momento do passado para passar algumas barreiras da nossa vida no futuro. Deu para perceber que eu gostei, né?

    Responder
  2. Dafne

    Sinceramente, sinto inveja por vc estar saindo realizada da sua faculdade!
    Acho que reclamo de mais, mas corro pouco atras das coisas. Vc é uma guerreira! E uma fofa também! ?
    Beijos e Sucesso!!!

    Responder
  3. AIslan Cagni

    É… realmente… sempre achamos que poderiamos ter vivido mais… aproveitado mais… sentido mais… achamos sempre que algo faltou… importante mesmo é aproveitar… não pensar para fazer…simplesmente agir e, caramba, se não der certo tentamos de novo! Insistir! Ser chato! Deixar acontecer! Ir atrás! Realmente não importa… nunca se arrepender e aprender com todo tipo de erro. Adorar errar! Para saber quando e como acertar! HellYeah! Adoro todos os sentimentos e atitudes!

    Responder
  4. Gustavo Pelogia

    Quando precisar, um juca mata a saudade ;)

    Responder
  5. Pablo

    Nossa… falou e disse! Estou no segundo ano de faculdade, e já sinto falta só de pensar que daqui 2 anos vou estar dando Adeus à um monte de gente…! Sabe, posso dizer que a faculdade é/está sendo a melhor fase da vida da gente…! Pois é o único lugar em que mantemos contato com vááárias pessoas que se interessam pelo mesmo que nós! Hehe… boa sorte no TCC! #medo_do_meu

    Responder
  6. Ana Carolina

    Que texto lindo! Até chorei, sério *-*
    Eu, no meu sonho de ser aprovada na Cásper esse ano, já sinto um pouco do que é esse sentimento casperiano todo.

    Acho que o sentimento de ter deixado coisas para trás é normal, querer ter vivido mais. Mas até mesmo esses sentimentos são gostosos no meio de tantas coisas!

    Beijos!

    Responder
  7. Emillie

    Lindo texto! Vou entrar na faculdade só ano que vem (só que para audiovisual) e estou ansiosa para aproveitar tudo que a faculdade tem para oferecer não só na educação como amigos e tudo isso que você falou! 4 anos é muita coisa e se foram bem aproveitados não há do que se arrepender!

    Beijão Fe!

    Responder
  8. cristin

    Ah…que delícia de textooo!
    Amei tudinho…isto é vida,é viver…
    Existe sempre um turbilhão de coisas,
    necessidades,dúvidas dentro de nós e é pra
    sempre em tds as etapas da nossa existência!
    Bjus lind@

    Responder
  9. Carina

    Poxa, que bom que tu aproveitou a faculdade como deu pra aproveitar. E que a faculdade fez diferença na sua vida. Isso é tão bobinho e importante, né? As fases da vida. Quando nossos pais falam pra gente aproveitar ao máximo, que é a melhor época da vida, a gente tenta do nosso jeito, mas não leva tão a sério, né?

    Terminei Jornalismo ano passado, e a faculdade tbm me colocou em situações que uma menina tímida nunca faria por conta própria antes na vida. Mas acho que deixei de aproveitar tanto e por motivos tão bobos… O fim disso tudo é que hoje sei melhor quem eu sou (acho que faculdade é ótimo pra descobrir isso, ainda bem que passamos por esse período de descoberta frente a pessoas diferentes, professores de opinião e situações diversas), mas acho que fiquei decepcionada. Pensava que faculdade era pra gente descobrir um outro mundo, e eu fui descobri a mim mesma.

    Acabei de conhecer e adorei o blog, de verdade!

    Bjos!

    Responder
  10. may

    Delícia de texto! Eu, que quero entrar na Cásper também, fiquei ainda mais ansiosa após ler. E parabéns, pela faculdade quase completa! =)

    Beijos

    Responder
  11. natália

    Também me formo na Cásper este ano. Só que em PP. Não tive tantas experiências de JUCAS e baladas assim, haha, a Cásper nunca foi minha 2ª casa, como já ouvi muitos falarem, mas confesso que aprendi muita coisa naquele prédio. E com certeza, este último ano, rendeu mais que os três juntos! hehe

    Só me arrependo de uma coisa, queria ter aproveitdo muito mais! Mas acho que isso fica para o “se fizer outra faculdade”…

    :P

    Beijos!

    Responder
  12. Fernanda

    natália on 11/09/2009 at 10:43 am said:

    Também me formo na Cásper este ano. Só que em PP. Não tive tantas experiências de JUCAS e baladas assim, haha, a Cásper nunca foi minha 2ª casa, como já ouvi muitos falarem, mas confesso que aprendi muita coisa naquele prédio. E com certeza, este último ano, rendeu mais que os três juntos! hehe

    Só me arrependo de uma coisa, queria ter aproveitdo muito mais! Mas acho que isso fica para o “se fizer outra faculdade”…

    :P

    Beijos!

    hahaha é… eu também não sou da “turma da 2ª casa”, mas fui em alguns juca’s e tenho a sorte de rtv sempre fazer festas ótimas. :D Valeu a pena!

    Responder
  13. Leandro Pincini

    A foto me passou baita nostalgia… Lembrei da minha época de facul tbm =~ good times…

    Responder
  14. PedroZ

    Me formo ano que vem em jornalismo.

    Curti algumas festas, não fui em outras.

    Mas quanto a correr atrás da matéria, fiz o meu melhor. Claro que a gente sabe que sempre dá pra melhorar nos estudos, no trabalho, em todas essas atividades. Mas eu gosto de ver a trajetória, ali atrás, com gosto.

    E foi exatamente o que senti lendo teu texto :]

    Responder
  15. Fernanda

    Bonito seu texto,deu pra sentir de verdade o que
    queria passar nele!!
    BJUS

    Responder
  16. Fernanda

    sou bixete da Cásper, de jornalismo, e até agora, também não sinto que muitos dos amigos vão durar ou que as festas e as idas ao bar serão o que eu mais vou sentir falta quando a facul acabar, com ouço de várias pessoas. mas sinto que o que a gente pode levar de melhor é a maturidade que a gente adquire, muitas vezes na marra, muitas vezes comprando briga mesmo, e o orgulho de ver que, mesmo depois de todo o perrengue passado, a matéria/o trabalho enfim deu certo ;)

    espero que, quando chegar no quarto ano, eu possa sentir esse mesmo apertozinho no coração que você sente agora!

    beijos

    Responder
  17. Camila

    Fê (a íntima), adorei o texto. Também tô terminando a faculdade de PP agora no final do ano. Posso dizer que aprendi bastante coisa, fiz muitos amigos, inimigos e tudo mais. Mas o melhor de tudo é que descobri que não quero seguir a carreira de publicitária e vou atrás do que realmente gosto, Gastronomia ;}
    Adoro ler sobre as experiências de outras pessoas!
    beijo

    Responder
  18. Tamires

    Lindo texto, sou caloura e espero sentiro mesmo q vc qd me formar!

    Responder
  19. Guilherme Gomes

    Parabéns por estar chegando ao final de uma etapa que pra mim é tão importante, eu não tenho o hábito de vir aqui comentar, as vezes por preguiça… Enfim, dessa vez não teve como, o que eu tenho a dizer depois disso tudo que você escreveu está longe de ser um “parabéns”.

    [levantandando da cadeira]
    CLAP CLAP CLAP CLAP

    Responder
  20. Excellent blog you have here.. It’s difficult to find good quality writing like yours these days.

    I truly appreciate people like you! Take
    care!!

    Responder
  21. I quite like reading through a post that will make
    people think. Also, many thanks for permitting me to comment!

    Responder

Deixe seu comentário