Nós não somos tão irracionais assim.

sáb

acho que está ficando instituído: pelo menos uma vez por semana tem filosofia de banheiro. E com este pequeno desabafinho explico minha postura com relação ao 500 days of summer.

.

Encontre um erro nesta imagem.

Closer é cheio de tiradas boas. Cheio. E por mais que você odeie este filme (eu adoro), sempre vai encontrar meia dúzia de frases geniais para colocar no nick do msn (not). Ou num about me  (not). Ou para citar aleatoriamente em conversas de bar e soar sarcástico de forma sensível quando a conversa chegar onde o diabo gosta. No sexo. Digo, nos “relacionamentos”.

Excetuando-se a frase “Mentir é o maior divertimento de uma garota sem tirar a roupa, mas fica melhor se ela tirar”, a melhor frase fica sendo quando Alice (Natalie Portman), a dona do maior número de tiradas inteligentes, vem e lança: “Existe sempre um Momento”. Ela se refere a existir sempre o momento de se jogar de cabeça num amor, ou então de fechar os olhos e fingir que aquele frio na barriga não aconteceu.

Eu concordo. Existe sempre um momento. E finalmente vejo que um sentimento cego e irracional, do tipo “à primeira vista” ou “nosso amor numa cabana” não existe. Ou que é quase lá impossível – principalmente  ao notar todas essas brincadeirinhas da vida com minha pessoa. Depois de me sentir boneco no colo de ventríloco, parei para  resolver essa equação complexa de 1+1=2, de forma a observar fria e calculisticamente as minhas próprias atitudes. Ao final, percebi que não, eu realmente não estava de todo errada. Coloquei-me num processo sério de purificação. Pode rir. Quase uma monja, fui me fechando para “Momento’s”.

Entre escolher sofrer por burrices irracionais, estou preferindo ser feliz no Tibet. Sozinha, mas no topo. Sem altos e baixos, sem montanha russa, sem descontar em quem não tem nada a ver com o telefone que não tocou. Sem expectativas infundadas. Sem emoção?

Você pode até dizer que sim. Pode dizer que estou perdendo boa parte da diversão. Que estou bloqueando meu caminho até o tal Momento (só que o certo). Você pode dizer que talvez eu esteja perdendo. Eu digo que estou. Mas estou perdendo o mais do mesmo.

Eu vi tais curvas do caminho tantas vezes que me permito achar que posso farejar quando o caminho, na verdade, não vai dar em lugar algum. E até agora não está valendo a pena correr por aí em círculos só para cair, ralar os joelhos e fingir que não aprendi nada até aqui por ter topado entrar nisso (e cair nisso) mais uma vez.

Prefiro caminhar sozinha do que me perder acompanhada em vão para me perder sozinha depois, se é que você me entende. Quem sabe sozinha o momento d’O Momento chegue sem me pedir nenhum tipo de licença, sem me deixar ignorá-lo? Obrigando-me a pensar se quero mesmo parar ou se continuo a trilha com apenas duas pegadas no chão.

Afinal, não somos tão irracionais assim. Só um pouquinho. Só quando as curvas encurvam de um jeito diferente. Então, enquanto elas encurvarem iguais, eu continuarei indo até o Tibet. Bem. E só.
.

ps: e se a carapuça serve em alguém, eu recomendo. Foi a melhor coisa que fiz por mim.
.

Comentários via Facebook

19 comentários

  1. guiiii

    Fernanda,

    Talvez a carapuça tenha servido em mim. Ano passado me apaixonei como uma criança, e fiquei assim, cego de amor. Uma delicia.

    Mas foi, passou… foi bom, mas não sei se daria pra me aventurar agora da mesma forma. Eu acho que grandes expectativas muitas vezes não passam de grandes ilusões.

    Porque não curtir, gostar, viver e deixar as coisas como elas tem que ser? Eu acho que é o melhor caminho pra que algum relacionamento dar certo. Sem tantos frus frus, nuvens e afins…

    Ficar no Tibet mesmo e interagir fazendo asanas bem devagar, mantendo a mente e o espirito livres… esse com certeza é o melhor caminho pra encontrar um amor que traga paz.

    Beijos. =*

    Responder
  2. Fernanda

    guiiii on 01/08/2009 at 11:20 am said:

    Fernanda,

    Talvez a carapuça tenha servido em mim. Ano passado me apaixonei como uma criança, e fiquei assim, cego de amor. Uma delicia.

    Mas foi, passou… foi bom, mas não sei se daria pra me aventurar agora da mesma forma. Eu acho que grandes expectativas muitas vezes não passam de grandes ilusões.

    Porque não curtir, gostar, viver e deixar as coisas como elas tem que ser? Eu acho que é o melhor caminho pra que algum relacionamento dar certo. Sem tantos frus frus, nuvens e afins…

    Ficar no Tibet mesmo e interagir fazendo asanas bem devagar, mantendo a mente e o espirito livres… esse com certeza é o melhor caminho pra encontrar um amor que traga paz.

    Beijos. =*

    sei bem como é. E foi assim que eu cheguei “aqui”. rs É bom saber que alguém concorda…!

    Responder
  3. mj-coffeeholick

    adorei o texto …

    veio bem a calhar pra mim.

    Responder
  4. Stephanie

    Se mais garotas pensassem dessa forma, muito do “Ai, amor é uma bosta, amor é uma bosta e bla bla bla” iam acabar. Simplesmente porque pessoas tendem a achar que amor é sorte, é tentativa e erro. E não é bem assim, né? De repente, as pessoas se machucam muito nesse joguinho e começam com essa balela contra amor.
    Acho que uma coisa linda a se fazer é essa instrospecção. Acho que “conhece-te a ti mesmo” é a chave. Como achar alguém se nem sabemos quem somos, não é?
    Beijos Fernanda!
    ps: Estreie meu blog, se der, dê uma passadinha!

    Responder
  5. Diiandra

    Olha, te admiro muito por conseguir isso. Essa coisa da gente “cair” e se decepcionar, e voltar a ficar sozinha já aconteceu inúmeras vezes comigo, e provavelmente irá acontecer quando acabar o meu atual “relacionamento”, se é que eu posso chamá-lo assim. Mas, apesar de eu saber exatamente que final terá, e saber exatamente como eu vou ficar, não consigo largar mão. Nunca consegui. Eu prefiro aproveitar o tempo que tenho duas pegadas a mais ao meu lado e sofrer depois à sofrer por não ter tentado. Mas eu realmente admiro e MUITO pessoas como você que conseguem fazer isso.

    Bjs Fernanda, e o blog todo está muito bom! :*

    Responder
  6. gi

    nossa… Closer é meu filme favorito, disparado. Lembro-me perfeitamente de ter saído embasbacada do cinema: como podia um filme sintetizar tantos sentimentos que eu também sentia? Na época eu estava quase acabando um relacionamento enfadonho que já durava 4 anos. Vi 2x, arrastei a minha irmã depois pra ver se ela também sentia o mesmo que eu. Ba-ta-ta! Ela também se identificou. Logo, concluí que Closer é um daqueles filmes que provocam uma catarse. No final, todos se identificam com a situação de algum dos personagens. Hoje em dia tenho o DVD e vejo de vez em quando, pra não enjoar muito.

    BJS, Fê, parabéns pelo blog. Traz sempre diversão e, ao mesmo tempo, ótimos textos.

    Responder
  7. Taís

    Nossa, parece q vc escreveu por mim!!!
    Me sinto da mesma forma, sozinha, porém melhor do q me arriscando com coisas idiotas, perdendo tempo e oportunidades melhores.

    E eu vi vc na Gloss, com aquela foto q ficou mto boa!!
    Bjos

    Responder
  8. Ana Cabeça

    Ótimo post…
    Sigo o mesmo pensamento e sei que estou fazendo o melhor pra mim :D

    Um beijo*

    Responder
  9. Marin

    nossa… carapuça serviu…acbei de sair duma dessas paixoes que quando acaba vc demora um longo tempo pra fechar as feridas…

    muito bom mesmo o texto!primeiro comentario aqui so pra dizer que me emocionei.

    Responder
  10. Stella

    Esse texto é como me sinto no momento…sozinha mas feliz.Ás vezes me pergunto se vale a pena mas quando encontro pessoas que pensam igual ou leio um texto como esse percebo que vale a pena esperar o momento.
    Ótimo texto.Parabéns
    Beijo

    Responder
  11. Tiago

    Sempre passei aqui timidamente pra conferir o que tu escreve, mais neste texto em especial achei que devia comentar.
    Sabe Pineda, me identifico de mais com você, não pela beleza claro visto que a minha não chega aos pés da tua, mais pelo jeito com que você lida com a vida, e os gostos que ela tem.
    Sou ator, músico, fotográfo e tenho uma sensibilidade aguçada, vejo nos olhos a beleza, é por isso que eu creio que não há maior cartão de visitas para um blog do que aqueles seus olhos no canto esquerdo. São mágicos!
    Desde que eu comecei a praticar yoga, mudei, parei de inventar desculpas para as minhas limitações e comecei a acreditar mais em mim, é claro que eu devo acreditar muito mais, só que ainda eu me saboto.
    Digo tudo isso [e queria dizer mais] porque nunca encontrei uma mulher de verdade, aquela para você permitir deitar no seu peito e escutar seu coração, aquela que te faz iluminar, se apaixonar, fazer loucuras para demonstrar este sentimento. Em meus sonhos eu guardo este desejo.
    Não procuro mais por um amor, nem me machuco mais se ele não dá certo, o costume de ser mal amado me fez inverter a história: Se assim sou tão especial, com sonhos especiais, quem não me merece são elas. Teoria boba pode ser, mais o fato é que há um pingo de verdade.
    Energias às vezes somem, com um grande amor sei que talvez se encontra elas mais rápido, mais agora busco energia para realizar os meus sonhos, e são muitos.
    “Os sonhos são barcos navegando em um oceano de emoções”
    Ou seja, há sempre um espaço a quem quiser velejar junto por estes mares.

    Beijos

    Responder
  12. Tânia

    Putz perdi tudo que eu digitei… perae ja ja escrevo de novo! rsss

    Responder
  13. Tânia

    Caramba, e como serve essa carapuça!
    Acho que de certa forma serve sempre em algum momento da vida.
    Quem nunca teve o coração partido e depois não deixou algum ‘momento’ rolar por estar se protegendo?
    Só acho que segurança demais tbm não é legal, pelo seguinte: como vc mesma falou a gente perde a emoçao.
    As vz o melhor acontece justamente por não planejarmos, lógico que eu tbm procuro ver onde piso, mas é tão bom
    se permitir que algo aconteça e que a surpresa seja maravilhosa, mesmo quando a gente que ela aconteça uma vez apenas.
    tipo, conheci um cara da net de SP, ele veio pro AC me conhecer. Ficou por aqui 12 horas. Todinhos comigo. Foi maravilhoso, único.
    Nunca mais permitirei que alguém faça isso assim por mim. Foi bom, mas as consequencias no meu coraçao mongol foram fodásticas.
    eu poderia ter evitado. Mas acredite, nunca teria aprendido o que aprendi se tivesse dito não. Mas cada caso é um caso.
    Estou faz um tempinho nessa fase ‘Tibet’ e ainda não me sinto 100% pra baixar a guarda rssss
    Aprendi que nem tudo que gera arrependimento pode ser considerado ruim.

    Responder
  14. sininhu

    AMEI esse post!
    tudo o que tu escreveu condiz muito com o que eu ando sentindo no momento…
    vou até twittar esse link!
    huahuahua

    =)

    Responder
  15. Mariana

    Adorei o post. O importante é estar bem e não necessariamente acompanhado (a). Conheço pessoas (me incluo nessa ^^) solteiras felizíssimas, aproveitando os bons momentos e sabendo fazer o melhor de todas as áreas de suas vidas. Por outro lado, conheço pessoas que namoram, se privam de muito por conta do companheiro (a) e passam mais momentos tristes do que felizes. É clichê, eu sei, mas o importante é estar feliz consigo mesmo e, quando for pra acontecer, vai aparecer alguém especial.
    Beijos e adorei seu blog!

    Responder
  16. Fernanda

    Tiago on 02/08/2009 at 10:28 am said:

    Sempre passei aqui timidamente pra conferir o que tu escreve, mais neste texto em especial achei que devia comentar.
    Sabe Pineda, me identifico de mais com você, não pela beleza claro visto que a minha não chega aos pés da tua, mais pelo jeito com que você lida com a vida, e os gostos que ela tem.
    Sou ator, músico, fotográfo e tenho uma sensibilidade aguçada, vejo nos olhos a beleza, é por isso que eu creio que não há maior cartão de visitas para um blog do que aqueles seus olhos no canto esquerdo. São mágicos!
    Desde que eu comecei a praticar yoga, mudei, parei de inventar desculpas para as minhas limitações e comecei a acreditar mais em mim, é claro que eu devo acreditar muito mais, só que ainda eu me saboto.
    Digo tudo isso [e queria dizer mais] porque nunca encontrei uma mulher de verdade, aquela para você permitir deitar no seu peito e escutar seu coração, aquela que te faz iluminar, se apaixonar, fazer loucuras para demonstrar este sentimento. Em meus sonhos eu guardo este desejo.
    Não procuro mais por um amor, nem me machuco mais se ele não dá certo, o costume de ser mal amado me fez inverter a história: Se assim sou tão especial, com sonhos especiais, quem não me merece são elas. Teoria boba pode ser, mais o fato é que há um pingo de verdade.
    Energias às vezes somem, com um grande amor sei que talvez se encontra elas mais rápido, mais agora busco energia para realizar os meus sonhos, e são muitos.
    “Os sonhos são barcos navegando em um oceano de emoções”
    Ou seja, há sempre um espaço a quem quiser velejar junto por estes mares.

    Beijos

    realmente temos muito em comum! E eu entendo todas as linhas que tu escreveu. E que comentário lindo! :) Eu realmente me emociono quando “abro o livro” aqui e as pessoas se identificam, me dão forças ou então criam coragem pra comentar pela primeira vez..!

    Espero que tu volte, e espero que, a seu tempo, o momento chegue pra você, mas é claro! Sem procurar por ele..! :)

    beijão!

    Responder
  17. Pitoresk

    Carapuça caiu totalmente bem em mim, é exatamente isso q está acontecendo comigo.
    “Coloquei-me num processo sério de purificação. Pode rir. Quase uma monja, fui me fechando para “Momento’s”” – é exatamente isso…
    ótimo post, diz em poucas palavras coisas enormes…
    bjs e boa sorte.

    Responder
  18. Leandro Pinicni

    Cara, closer é foda!!!

    ps: tinha um monte de coisa legal pra falar, mas to fazendo curso pra aprender a ficar queto… DHASUDHASUDHASdas

    bjo fe

    Responder
  19. Fernanda

    Leandro Pinicni on 03/08/2009 at 4:02 pm said:

    Cara, closer é foda!!!

    ps: tinha um monte de coisa legal pra falar, mas to fazendo curso pra aprender a ficar queto… DHASUDHASUDHASdas

    bjo fe

    ……
    oi, sem noção! Comentar um post é BEM diferente de detalhar o dia no msn! :D HAHAHA

    Eu, hein! falo mais nada!

    Responder

Deixe seu comentário