Paquerinha com hora certa.

sáb

.

“E agora??” via le love


Timing é tudo num relacionamento.
Numa paquera. Num tête-à-tête. No sexo. Em qualquer coisa envolvendo duas pessoas, duas bocas e muita vontade de ser feliz. É por isso que a frase “quando um não quer, dois não fazem” começa com quando.

A conjunção subordinativa adverbial de tempo “quando” assume não só a função de dizer “em que ocasião” ou “em que tempo” a oração principal ocorre, mas, simplificando tudo, o quando tá aí não só pra determinar o momento em que as coisas acontecem, mas se acontecem né, baby. Sabem do que eu estou falando?

Pois, bem. Paquerar devagar é uma bosta. Tá todo mundo muito afim, a menina, o cara, tudo escrito na testa, todos os fofoqueiros amigos comentando e a coisa não vai pra frente. Paquera rápida também é uma bosta. Tipo, “oi, consegui seu msn, porfavormedáseutelefoneagora?”. Não, não vou dar nada, meu amigo. Até porque a última vez que fiz isso, o infeliz ligou 5 vezes no mesmo dia e eu achei melhor bloquear o cara. E bloqueei, tipo, na vida, morrendo de medo do moço. (mas ok, esse foi um dos poucos casos em que um homem realmente me assustou.)

Os casos são extremos? É lógico que são! E eu acho bom avisar, afinal de contas, a real é que a maior parte dos meninos não é tão desesperado e sem noção, graças à Deus. Aliás, convenhamos: quanto mais você quer ter alguém do seu lado, mais você quer que essa pessoa seja legal, inteligente, tenha um visual bacana, etc.  e não que seja um freak necessitado, certo? Certo.

Aí tu fica nessa mesa de bar contemporânea que é o msn e o gtalk e conhece pessoas interessantes. Vê fotos interessantes. Tem papos interessantes. Acha até a droga da voz do sujeito interessante. Mas o incrível é que ele ainda não pediu seu telefone. Ele ainda acha que vocês vão marcar. Ele insiste que tá louco pra te conhecer. Ele não marca merda nenhuma concreta e ainda acha sacanagem se você não insiste com ele: é como se, além de topar sair, ela  tivesse que marcar tudo, ligar confirmando, buscar o queridão em casa e ainda abrir a porta do carro pra ele. Depois disso, ela pode até coçar o saco imaginário, se quiser. Assim, só pra tornar a coisa mais dramática, sabe? …

Bobeiras à parte, acho que todo mundo super-ama a modernidade, homens e mulheres, e que é bastante provável que agora tudo esteja melhor para todo mundo (pelo menos teoricamente, é claro!) . Só que do mesmo jeito que o rapaz ainda hoje vai achar legal se a garota tiver um certo timing pra “liberar a cerejinha do bolo”, a lindinha também vai adorar se você tiver aquele timing delicioso para agir.

Sim, é verdade que gostamos de homens sensíveis ou compreensivos, pero no mucho. Ser homem de verdade perto de uma mulher conta muito mais do que ter um abdominal rachado ou  decorar meia dúzia de poemas. Saibam disso.

E se você (homem, mulher ou indeciso) não tem idéia de como anda sua noção de timing, simplesmente pense em três coisas:

1. o quanto vocês já se conhecem?
2. já está na hora do próximo passo?
3. ele/ela/xis já está curioso(a)?

Pronto. Se vocês já se conhecem o suficiente para o próximo nível, se o “próximo nível” realmente não for nada absurdo ou incomum e se, ainda por cima, você conseguir ter a mira certeira de atingir o ponto de curiosidade da outra pessoa sem fazê-la esperar, ponto pra você! o/

É uma jogada de sorte? É! Mas simplesmente não é tão difícil!  Saiba que enquanto você está lá no “devo pedir o telefone?”, ela estará no “huum, e agora, quando ele vai pedir o telefone?”. Sendo que o “telefone” obviamente pode ser trocado por N mil coisas. Usem a imaginação.

Yes, you can! Just-in-time. 8)

.
ps: só para relembrar que isso não é um convite para que as mulheres fiquem passivas, mas sim para que os homens ajam mais. Falar de mulher que não age hoje é meio esquisito, já que, pelo contrário, são os rapazes que têm sido alvos da mulherada louca. Logo, não é porque “os tempos mudaram” que eles precisam ser tempos de “algo de podre no reino da Dinamarca”, não é? Pois é.

Comentários via Facebook

21 comentários

  1. Zeca

    É verdade, já perdi muita coisa por falta e/ou excesso de timing.

    Responder
  2. Rafael Barros

    Me divertindo aqui pensando, qual situação teria supostamente acontecido com vc lindinha. Para escrever esse post.. hmmm!

    Responder
  3. Taís

    Adorei o texto, mto mto bom!!
    Realmente o timing é tudo, sem dúvida!!
    E concordo mais ainda q os homens deveriam agir mais (alô namorado!!) e não ficar esperando q vc decida tudo: o local da saída, a hora, o q fazer, TUDO!!
    Bjos

    PS.: acho q vou mandar o link pra ele agora. Quem sabe ele não se toca se ver q não sou só eu quem pensa assim?!

    Responder
  4. Timing quando se é programador, é excencial, mas passar isso pro relacionamento, é outra história, já perdi/deixei de fazer muita coisa por nao ter um timing bom, quando acerto maravilha… :)

    Responder
  5. MaK-PG

    Achei bem post de libriana. Incrível como essa coisa de signo bate.

    Responder
  6. Fernanda

    Rafael Barros on 16/05/2009 at 4:26 am said:

    Me divertindo aqui pensando, qual situação teria supostamente acontecido com vc lindinha. Para escrever esse post.. hmmm!

    qual situação? acredite se quiser, dessa vez foi coisa boa. Mas é algo que vale pra tudo, pra sempre. Só que o fato me fez pôr pra fora, porque sempre acreditei nisso. rs 8)

    Responder
  7. Bia Almeida

    HUAHUAHUAUAHUAHUA
    ADOREEEEEEEEEEEI! Vou até mostrar esse post para certa pessoa medrosa.. rs
    Meus últimos 2 rolos foram assim, por um triz não fui eu que disse ‘Que tal irmos ao cinema?’, ou algo do tipo. É o último rolo querida, ainda está rolando… Ai, é uma longfa história, longe demais para um coment, já disse o que eu tinha pra dizer!
    Bjs, té

    Responder
  8. Jackeline

    Serviu pra mim. Apesar de mulher, muitas vezes agi sem noção, porque a outra parte não fazia nada…
    Vá lá que conquistamos muitas coisas, mas ainda quero ser cortejada… né não ?
    = )

    Responder
  9. kamii

    Oi, leio seu blog a algumas semanas, só agora decidi comentar. é lindo *O*
    Esses homens de hoje estão virando uns panquecas agem quando você ainda não sabe se quer ou depois que você passou tanto tempo querendo que não quer mais. estamos perdidas.

    Responder
  10. Lena

    Ah esse timing… sempre tá atrassado demais ou adiantado demais, a gente nunca sabe ao certo! Serviu pra mim, mas fui me meter numa roubadinha básica – como sempre néam! -, mas eu acredito num futuro, mesmo que seja bem futuro bem timing!

    :*

    Responder
  11. Jaddy

    Hmm.. eu queria ter pensado assim na minha época de paquera. Agora que já estou na época de “namoro pra casar”, não se aplica mais. =P

    Responder
  12. Cauê Madeira

    Já me preocupei muito com essa coisa de timing. Já me preocupei muito com a questão de demonstrar muito interesse ou demonstrar pouco interesse. Mas acho que estou ficando velho do alto dos meus 23 anos.

    Acho que o melhor timing é aquele que não existe. Nada melhor do que deixar as coisas acontecerem normalmente.

    A gente (homens) cresce na família, na escola, no colégio e até mesmo na faculdade com uma cultura de “quem pega mais mulher”. Quantas vezes não vi amigos meus saírem putos porquê a menina não correspondeu.

    E é por isso que digo que estou velho. Não aguento mais ficar com joguinhos, jogando verde, testando, imaginando quando seria a possibilidade perfeita de pedir um telefone e convidar pra sair.

    Já percebeu como o ato de demonstrar interesse (as chamadas “segundas intenções”) é mal visto hoje em dia?

    Pois eu acredito na sinceridade. E por sinceridade eu não digo que você deve chegar e dizer “oi, quero te pegar”, porquê na real não é isso. Isso é na balada. Porquê se estou conhecendo alguém de verdade (mesmo que seja por MSN ou Gtalk) eu não preciso esconder que achei aquela pessoa interessante e cativante. Isso é bem diferente de dizer “oi, quero te pegar”. Mesmo porquê eu ainda nem sei se quero ficar com a pessoa, mas sei que há um interesse, há um certo afeto inexplicável naquela relação, e que pode evoluir para algo mais legal ainda. Ou pode não ser a mesma coisa pessoalmente.

    E justamente por isso que prefiro deixar rolar naturalmente. Se eu encarar isso como um jogo vou ficar me preocupando com coisas que não deveriam ser uma preocupação, como o “devo pedir o telefone agora ou depois”. Aí acaba rolando esse tipo de problema que você citou.

    Agora, se fizermos a coisa com sinceridade e naturalmente, vai rolar. O telefone vai vir no momento certo sem que a gente precise ensaiar pra fazer isso. O cinema ou barzinho vai rolar na hora certa, quando os dois já têm um mínimo de intimidade internética para evoluí-la para o plano da realidade.

    E então, o tal do beijo, do sexo, do relacionamento.

    Com isso, minha conclusão é que o problema não é a ansiedade ou a lerdeza de uma pessoa em “avançar” num relacionamento. Na verdade isso tudo é efeito de uma situação de joguinho que, na real, pra mim já deu.

    Ufa, que bíblia, né.

    Enfim, concordo com alguém que falou lá em cima: muito libriano este post, hahahaha.

    Responder
  13. Fernanda

    Cauê Madeira on 16/05/2009 at 2:47 pm said:

    Já me preocupei muito com essa coisa de timing. Já me preocupei muito com a questão de demonstrar muito interesse ou demonstrar pouco interesse. Mas acho que estou ficando velho do alto dos meus 23 anos.

    Acho que o melhor timing é aquele que não existe. Nada melhor do que deixar as coisas acontecerem normalmente.

    A gente (homens) cresce na família, na escola, no colégio e até mesmo na faculdade com uma cultura de “quem pega mais mulher”. Quantas vezes não vi amigos meus saírem putos porquê a menina não correspondeu.

    E é por isso que digo que estou velho. Não aguento mais ficar com joguinhos, jogando verde, testando, imaginando quando seria a possibilidade perfeita de pedir um telefone e convidar pra sair.

    Já percebeu como o ato de demonstrar interesse (as chamadas “segundas intenções”) é mal visto hoje em dia?

    Pois eu acredito na sinceridade. E por sinceridade eu não digo que você deve chegar e dizer “oi, quero te pegar”, porquê na real não é isso. Isso é na balada. Porquê se estou conhecendo alguém de verdade (mesmo que seja por MSN ou Gtalk) eu não preciso esconder que achei aquela pessoa interessante e cativante. Isso é bem diferente de dizer “oi, quero te pegar”. Mesmo porquê eu ainda nem sei se quero ficar com a pessoa, mas sei que há um interesse, há um certo afeto inexplicável naquela relação, e que pode evoluir para algo mais legal ainda. Ou pode não ser a mesma coisa pessoalmente.

    E justamente por isso que prefiro deixar rolar naturalmente. Se eu encarar isso como um jogo vou ficar me preocupando com coisas que não deveriam ser uma preocupação, como o “devo pedir o telefone agora ou depois”. Aí acaba rolando esse tipo de problema que você citou.

    Agora, se fizermos a coisa com sinceridade e naturalmente, vai rolar. O telefone vai vir no momento certo sem que a gente precise ensaiar pra fazer isso. O cinema ou barzinho vai rolar na hora certa, quando os dois já têm um mínimo de intimidade internética para evoluí-la para o plano da realidade.

    E então, o tal do beijo, do sexo, do relacionamento.

    Com isso, minha conclusão é que o problema não é a ansiedade ou a lerdeza de uma pessoa em “avançar” num relacionamento. Na verdade isso tudo é efeito de uma situação de joguinho que, na real, pra mim já deu.

    Ufa, que bíblia, né.

    Enfim, concordo com alguém que falou lá em cima: muito libriano este post, hahahaha.

    Eu também ando absolutamente cansada de tudo isso. O problema é que às vezes o “rolar naturalmente” é tão lerdo que você se cansa AINDA MAIS dessa situação toda. rs

    Mas com relação a seus amigos, juro que estou realmente surpresa. O que eu mais vejo são caras que querem sexo e nada mais e meninas que acabam sendo “esquecidas” e tomando o bom e velho chá de sumiço! Vai entender. :P

    Responder
  14. Rebiscoito

    Não digo que timing ‘é tuuudo’ mas se ele for ignorado, pode acabar com qualquer relacionamentico ou relacionamentão! Eu fico indignada ao ver certas atitudes de pessoas totalmente sem noção! Tipo esse cara aí que te ligou 5x no dia…Tipo, ALÔ?! Vamos ter um pouquinho de semancol né? Acho tão óbvias certas atitudes que devemos ter…E não me conformo como tem gente que simplesmente as ignora! Mas ok, esses são os extremos. É que minha experiência atual se trata de um extremo e a cada manifestação de vida que a pessoa dá eu penso: aimeudeuscalabocasaiddaqui sabe? de tão sem noção que é. Acho até que estou sendo meio dura e que já criei uma armadura de ferro contra essa pessoa e qualquer coisa que ela falar/fizer, por mais consciente que seja, eu vou achar ridícula e errada. A falta de timing no começo já cagou qualquer coisa que pudesse vir depois.

    ps. adorei o “mesa de bar contemporânea” hahaha

    Responder
  15. anie

    ameiiiiiiiiiii o post o/

    Responder
  16. Michelle

    ameiiiiiiiiiii o post o/ [2]

    E assino embaixo!

    :P

    Responder
  17. Cris Marques

    Genteeeeem, esse texto é mesmo tudodibom, hein??? Como sempre 1º ri, depois ameeei!!!!

    Bjins

    Responder
  18. gi

    timing é tudo mesmo!!! não tinha como definir melhor! ótimo texto!

    Responder
  19. Roberta

    post ótimo! acho que todos passam por esse tal problema de timing um dia, né? =)

    gente lerda é o fim.

    Responder
  20. ana

    O problema maior quando o seu timing não é igual ao dele… É hora de partir pra outra.
    bjs!

    Responder
  21. Ariane

    Concordo co ma Ana…..qdo o timing não é igual, ave, o lance é partir pra outra, pq esperar a coisa “sincronizar” daí já é esperar demais, né?!
    Bjão flor.

    Responder

Deixe seu comentário