Então existe uma esperança. Ou duas.

qui

Este provavelmente vai ser meu último post sobre relacionamentos (ou a ausência deles) do ano, então prestem bastante atenção, pois agora é exposição mode [on].

imagem via We <3 it.

Nesse tempo sozinha eu criei uma meia dúzia de convicções amargas sobre homens e relacionamentos. Já até me acusaram de estar sendo matemática e cartesiana neste sentido, mas o que eu quero dizer é que, bem, às vezes criando uma meia dúzia de teorias você se protege de acasos ruins. Claro, é o acaso e ele pode ser bom. Mas e se for ruim? Já falei aqui que não concordo em sofrer pelo incerto, pelo que não é, pela esperança do que nunca vai ser.

É claro que eu me toquei de que realmente poderiam ser apenas meia dúzia de teorias que eu criei para mim mesma me tranqüilizar. Auto-proteção e amor-próprio são bons motivos para isso, principalmente quando os seus próprios “10 mandamentos” fazem muito sentido e quando você sabe que toda mulher, em sua via sacra, passa pelos momentos (dias/meses/anos) de “homens são malucos / isso aqui é uma competição / não acredite neles até que te provem o contrário”.

Aí numa noite despretenciosa, em que tudo o que eu apenas planejara era ir bem vestida, me divertir com minhas amigas e aproveitar o open bar, eu recebo provas contrárias. Bastante contrárias. Depois de garantir o sucesso do visual horas antes da festa, minha maior preocupação era minha própria estréia como dj, o que sim, me deixou um cadinho tensa.

Enquanto eu dançava esperando pela minha vez de assumir as pick-ups, observei ao redor e encontrei um affair do começo do ano, um caso que terminou de um jeito engraçado e que me motivou a elaborar minhas primeiras teorias. O fato é que continuamos muito amigos e, a bem da verdade, nenhum homem me faz rir como ele. Um clima tinha rolado recentemente e eu já sabia que seria seu alvo para a noite, mas ainda era cedo demais, gente demais. “Mais tarde”, pensei.

Mais tarde, então. Outros predadores estavam por ali, alguns inclusive chegaram, outros apenas descobriram meu nome e estavam gastando-o em vão a cada ida minha ao bar. Odeio isso. Na pista de volta, um rapaz bem apessoado e bonito veio com o papo. Disse pra ele que conversaríamos depois de eu tocar. Ele continuou na região.

Quase duas horas se passaram depois que terminei meu set com sucesso e o bonitão logo apareceu para me levar de volta à pista. Atencioso. Refleti um pouco. Havia ali quase meia dúzia de homens com quem uma tensão sexual prévia rolava, mas o alvo principal sumira. Era pra ele que eu estava me “guardando”(Like a virginnn…). Achei que tivesse sumido. Então…?

Dei bola para o rapaz belo e persistente. Forte, great kisser, chiclete de menta e me diverti um pouco até que ele disse que ia buscar uma bebida. Pensei que não o veria mais e só falei “eu vou estar aqui”. Ele virou as costas e eu simplesmente disse para minhas amigas: “vamos ver se ele vai ser otário o suficiente para me largar aqui depois de ter tentado me beijar a noite toda” – e este é o tipo de frase que eu elaborei juntamente às teorias, é claro.

Em cinco minutos, ele voltava. E meu queixo no chão. Eu não sei quanto tempo faz que eu não pegava um desconhecido numa balada e me lembro menos ainda do último que voltou. Mas, ok, também não lembro da última vez que enrolei alguém interessante só pra ver no que ia dar. Eu fiquei realmente surpresa. Mais surpresa ainda quando ele pegou meu telefone e lembrava meu nome.

Não levem isso a mal, música bombando, as pessoas realmente não conseguem conversar, ainda mais porque mais meia dúzia de desconhecidos havia perguntado o meu nome e havia me falado o seu. Por que raios ele se lembraria?? Ele deixou a festa umas 4 da manhã e eu continuei. Despediu-se de mim uma vez e depois de novo, quando ia mesmo para a saída. Fofo.

Fiquei alegre, mas tinha me sentido um pouco culpada em determinados momentos da “ficada” em que estávamos ali dançando e os outros motivos de tensão ficaram em volta – isso sem contar o alvo, que finalmente apareceu. Eu infelizmente só consegui pensar num “perdeu, playboy”, mas eu realmente quis saber onde ele estivera a noite toda.

Quando finalmente fiquei solteira na festa outra vez, fui para o bar e o meu alvo estava na escada próxima. Ele me olhou com cara de cachorro que caiu da mudança (por que homens são especialistas nisso?!) e eu o levei comigo. Ele simplesmente me abraçou forte e perguntou por que eu tinha ficado com um cara “tão feio”. Começou a beijar meu pescoço e me abraçar, perguntar se estava tudo bem comigo, com a minha vida …

Ok. O machismo ficou aonde?! Eu mesma fiquei mal, por mim e por ele. Se meus amigos vissem o que eu estava fazendo, pouco importa. É fim de ano, é open bar, quem-manda-na-minha-vida-sou-eu. Mas os amigos dele todos ali, sabendo que ele estava admitindo agora ser uma espécie de corno manso do universo dos affairs. Eu apenas perguntei pra ele “onde você estava?”.

Eu procurei por ele. Evitei o bonito por ele e, enquanto tocava, olhei para a multidão do alto e deduzi que ele tinha ficado mal de tanto beber, já que logo que o vi a primeira vez ele parecia um pouquinho além do limite para um começo de festa. Ele pediu desculpas pelo sumiço e simplesmente não conseguia tirar as mãos de mim.

Ficamos até seis horas da manhã na festa. Tomamos café e ele me acompanhou até o metrô aqui perto, por que eu estava com frio. (…)

Considerações finais?
Eu não sei se vou receber uma ligação, eu não sei se o “alvo” vai dar chá de sumiço, eu sei lá. A única coisa que eu sei é que, independente de days after (afinal, este é outro assunto!) esse “sábado à noite” quebrou meia dúzia de teorias minhas.

Agora posso dizer que eu realmente estou considerando que, de repente, tudo não passou de uma bela, enorme, tremenda falta de sorte e de um excesso de destino que colocou repetidas vezes em meu caminho meia dúzia de homens que só viam beleza – ou partes baixas.

Estou romântica e minha primeira resolução de ano novo será enviar os sinais certos. E, claro, quem sabe tentar evitar os deliciosos caras errados. Eles te divertem bastante, mas costumam trazer enxaquecas como efeito colateral. 8)

ps: escrevi este há algum tempo e pensei mil vezes antes de publicar. Aliás, não reclamem de mim! hehe Eu não estava inventando tudo o que eu disse aqui o tempo todo. Eu só percebo que, realmente, algumas teorias inflexíveis funcionam melhor no papel: a vida acabou de me provar.

Comentários via Facebook

18 comentários

  1. Urso Branco

    Grande texto… uma hora dessas preciso escrever sobre o inverso. beijos…

    Responder
  2. Felipe Neto

    “Você já é uma versão brilhante de você mesma.”

    ;)

    Responder
  3. zander catta preta

    Lindona, ótimo texto e te passo a minha regra de ouro: “não existem regras ou leis quando se trata do amor. só o querer.”

    beijos

    Responder
  4. Lore Almeida

    Quando a gente começa a não querer explicar ou entender o sexo oposto (ou não, enfim…) a gente relaxa mais, e não direciona tanta energia… essa energia só atrapalha, faz com que a gente meta os pés pelas mãos, e nos deixa ansiosa… faz bem, enquanto vive a vida, desfaz algumas teorias, desencana e de repente qd vc menos se espera, o presente de um ano novo e bom aparece!

    Responder
  5. Ju Mary

    fê, vc se assustou q o cara lembrava seu nome porque vc não lembrava do nome dele? huahauhaa…

    brincadeiras à parte, a verdade é que bastou você “desencanar” do alvo principal para ele “encanar” em você. por que tem gente que só dá valor quando perde? ou quase perde, rsss

    Responder
  6. Pami

    Você conta as coisas tão bem, que eu me senti lendo um livro e totalmente imersa nele. Sensacional.

    Responder
  7. Karen Caetano

    Adorei o texto! E me identifiquei bastante…

    Imagine que quem me fez criar todas minhas teorias anti-homem que detonaram minha auto-estima nos últimos 10 anos apareceu e contou a história toda diferente!

    Vou ter que reprocessar tudo! A gente nunca imagina o que o destino reserva… Mesmo!

    Responder
  8. Fernanda

    Ju Mary on 18/12/2008 at 9:15 am said:

    fê, vc se assustou q o cara lembrava seu nome porque vc não lembrava do nome dele? huahauhaa…

    brincadeiras à parte, a verdade é que bastou você “desencanar” do alvo principal para ele “encanar” em você. por que tem gente que só dá valor quando perde? ou quase perde, rsss

    hahaha
    é que QUEM diria, né? eu já vi cada uma, que não andava acreditando mais em nada..!

    Responder
  9. Fernanda

    Pami on 18/12/2008 at 10:14 am said:

    Você conta as coisas tão bem, que eu me senti lendo um livro e totalmente imersa nele. Sensacional.

    obrigada, Pami <3

    Responder
  10. Fernanda

    Lore Almeida on 18/12/2008 at 8:59 am said:

    Quando a gente começa a não querer explicar ou entender o sexo oposto (ou não, enfim…) a gente relaxa mais, e não direciona tanta energia… essa energia só atrapalha, faz com que a gente meta os pés pelas mãos, e nos deixa ansiosa… faz bem, enquanto vive a vida, desfaz algumas teorias, desencana e de repente qd vc menos se espera, o presente de um ano novo e bom aparece!

    vc tá cera também.
    E eu sou do tipo que “torra” energia a toa, pensando, criando hipóteses para comportamento x, y, z… Não é saudável. :(

    Responder
  11. Vitor

    Ai os homens… Fe esse ano eu pensei comimgo mesmo que teria diversas teorias e situações para me justificar com as atitudes em um relcionamento! Sabe qdo estamos convictos de que “é isso o que eu penso”, “eu ja vivi isso e sei como é” ou então “querido, vá procurar outra pq vc não me engana”? Pois então tudo vai abaixo qdo simplesmente estamos mais sensíveis e apaixonados e tudo o que achamos que aprendemos vai por água abaixo! Mais vc está na atitude em que teve, a vida é sua, vc sabe sabe como agir e seguiu de certa forma o seu coração e a mente juntos! Fez o que teve vontade, ctza não vai se sentir culpada por milhões de situações e agora é esperar. O negócio é este mesmo, enviar os sinais certos, se sentir segura e por os limites dentro da ficada e dps se eles aproveitarem pq não tentar e seguir com calma? Os caras e as todas as pessoas do mundo são diferentes de cada um de nós, encontrar a sintonia perfeita é complicado mais não impossível e por isso que surge o momento de compreensão e o “ceder”…

    Boa sorte em 2009 para todos nós!
    Bjjju
    Vi

    ps: *gente fiz um mini post aqui ahoiehiaeioha*

    Responder
  12. ana

    Belíssimo texto, Fê… ;)
    Mas, teorias são para isso mesmo… serem criadas, usadas e talvez quebradas ou não! Porém, o mais importante é você estar bem com você. Se os mocinhos somem ou não, isso faz parte (e tem hora que irrita! passei por isso e agora quem some sou eu… rs)

    Responder
  13. Fernanda

    Vitor on 18/12/2008 at 1:55 pm said:

    Ai os homens… Fe esse ano eu pensei comimgo mesmo que teria diversas teorias e situações para me justificar com as atitudes em um relcionamento! Sabe qdo estamos convictos de que “é isso o que eu penso”, “eu ja vivi isso e sei como é” ou então “querido, vá procurar outra pq vc não me engana”? Pois então tudo vai abaixo qdo simplesmente estamos mais sensíveis e apaixonados e tudo o que achamos que aprendemos vai por água abaixo! Mais vc está na atitude em que teve, a vida é sua, vc sabe sabe como agir e seguiu de certa forma o seu coração e a mente juntos! Fez o que teve vontade, ctza não vai se sentir culpada por milhões de situações e agora é esperar. O negócio é este mesmo, enviar os sinais certos, se sentir segura e por os limites dentro da ficada e dps se eles aproveitarem pq não tentar e seguir com calma? Os caras e as todas as pessoas do mundo são diferentes de cada um de nós, encontrar a sintonia perfeita é complicado mais não impossível e por isso que surge o momento de compreensão e o “ceder”…

    Boa sorte em 2009 para todos nós!
    Bjjju
    Vi

    ps: *gente fiz um mini post aqui ahoiehiaeioha*

    hahaha fez um mini post e eu adorei! hihi 8)

    Responder
  14. Fernanda

    ana on 19/12/2008 at 12:25 pm said:

    Belíssimo texto, Fê… ;)
    Mas, teorias são para isso mesmo… serem criadas, usadas e talvez quebradas ou não! Porém, o mais importante é você estar bem com você. Se os mocinhos somem ou não, isso faz parte (e tem hora que irrita! passei por isso e agora quem some sou eu… rs)

    é verdade.
    E é engraçado, porque você começa a acostumar com os sumiços e se, de repente, alguém gruda em ti, tu estranha TANTO que fica parecendo maluca de ter reclamado que não tinha ninguém por perto. Vai entender! :P

    Responder
  15. Evelyn

    Aconteceu comigo também Fernanda! Depois de “me matar” pra dar 100% certo um relacionamento de 2 anos, decidi ficar solteirissima (nem peguete tinha!) e criei mil e uma teorias. Agora o fim de ano quebrou isso, e to namorando há um mês o/ é a vida! Ótimo texto!
    beijo! :*

    Responder
  16. Ariane

    Sabe, Fê. Tô nessa sua fase de teorias…..na verdade, mais teorias qto à mim mesma do q em relação aos homens….eles são inconstantes e por isso “inteorizáveis”, lol.
    Tô solteira há 1 ano e meio, já passei por poucas e boas com meu ex, já tive vários crushes, mas nenhum vingou, pois sou eu q não estou pronta. Mas em 2009 qro mudar, qro fazer coisas q fazia antes, enfim, retomar de uma vez por todas as rédias da minha vida….boa sorte pra nós, e q o tal príncipe encantado chegue….numa jaguar vermelha, de preferência! Huahuaha
    Bjão.

    Responder
  17. Fernanda

    Ariane on 19/12/2008 at 12:50 pm said:

    Sabe, Fê. Tô nessa sua fase de teorias…..na verdade, mais teorias qto à mim mesma do q em relação aos homens….eles são inconstantes e por isso “inteorizáveis”, lol.
    Tô solteira há 1 ano e meio, já passei por poucas e boas com meu ex, já tive vários crushes, mas nenhum vingou, pois sou eu q não estou pronta. Mas em 2009 qro mudar, qro fazer coisas q fazia antes, enfim, retomar de uma vez por todas as rédias da minha vida….boa sorte pra nós, e q o tal príncipe encantado chegue….numa jaguar vermelha, de preferência! Huahuaha
    Bjão.

    hahaha
    JAGUAR VERMELHA
    Adorei!! <3

    Responder
  18. Thais

    Comentando o post da Madonna!

    Hahahahahahah a Bella sofre mesmo, mas calma que uma hora as coisas acontecem pra ela ;)

    Eu vou tentar ir no domingo, comprando ingresso lá na hora mesmo, mas nãotenho certeza. O negócio era ir na pista VIP mas era muita loucura pra comprar, e eu tava meio sem grana… acabei desencanando! Mas aproveite por mim!

    Bjs!

    Responder

Deixe seu comentário