“Eu não gosto de teatro”

qua

Convide as pessoas para ir ao teatro no sábado à noite. Muitas vão perguntar primeiro o preço. Outras vão querer saber qual “ator conhecido” está na peça. Por último, devem perguntar se é comédia. Mas, na pior das hipóteses, vão dizer: “ah, eu não gosto de teatro”.

Não estou aqui pra obrigar ninguém a gostar, meus caros. Até porque muita coisa não se põe num palco e, realmente, efeitos especiais de cinema são impossíveis de se obter ao vivo. E, obviamente, sou outra cinéfila de carteirinha, mas o que me enoja um pouco é ver gente por aí dizendo que “não gosta” sendo que não conhece.

Provavelmente todos nós tivemos alguma experiência com peças, nem que seja na escola, com teatro de marionetes. Aliás, acho tal iniciativa extremamente importante, até porque, para algumas pessoas, esta será a única vez na vida que terão contato com esse tipo de arte. Não só pela falta de abrangência natural que o teatro tem, já que ele é instantâneo e presencial, quanto pela desculpa do “preço”.

É claro que, se você for olhar bem, teatro custa caro mesmo, se formos comparar que podemos comprar ou alugar um dvd por R$5,00, ou baixar de graça. Mas se você é fã da boa e velha sala de cinema como eu, deve estar espantado com ingressos por aí custando $R20,00. Com esse preço, você consegue sim assistir boas peças e ainda presencia emoções ao vivo.

Sim, o cinema é mágico, é sensacional, eu também acho. Porém, há um diretor gritando ali no fundo para que os atores façam exatamente a coreografia que ele quer. Para quem não sabe, muitos filmes antigos eram dublados, inclusive do mestre Gláuber Rocha – tudo por conta dos comandos do diretor sobressaírem aos diálogos. Essa idéia de “dublar” o filme na pós-produção surgiu do próprio cinema italiano clássico, durante o movimento neo-realista. Em filmes como “Paisá” (1946), de Roberto Rosselini, é extremamente perceptível a dublagem. Recomendo a experiência!

Mas, voltando as emoções ao vivo: o SESC sempre oferece boas opções de teatro e que não são necessariamente “alternativas”, como costumam ser as peças de ingresso mais em conta, geralmente encenadas por companhias mais experimentais, que não visam o lucro como objetivo maior. Aproveitando o ensejo, darei uma dica do próprio SESC, onde estarei na sexta-feira à noite:

Dan Rosseto, ator, diretor e amigo meu, dividirá o palco com ninguém menos que Caco Ciocler em “O Imperador e Galileu“. A peça, inédita no Brasil, é de Henrik Ibsen e estréia sexta-feira, no SESC Santana em São Paulo, por apenas R$20,00. Veja maiores detalhes aqui.

Só lembrando: Ibsen é um dramaturgo dinamarquês que viveu entre 1828 e 1906 e hoje é considerado o pai do teatro moderno. A maior parte de sua obra apresenta uma visão crítica em relação à moral burguesa da época, mas nada de Nelson Rodrigues, aqui a coisa é diferente. Para Ibsen, o mais importante era falar da problemática gerada pela infra-estrutura capitalista e a sua influência no psicológico da época. Traduzindo? Desafio às autoridades e o direito de divórcio à mulher (antes mesmo do século XX).

Bom, acho que vale a pena largar o cinemão e ir até lá curtir uma boa montagem com direito até a ator famoso, não?  Depois, se alguém me disser “mas eu não gosto de teatro!”, eu só vou entender se você também não gostar de cinema. Ou se o seu filme favorito tiver ganhado um Óscar de efeitos especiais, oká? :D

PS: Quer ganhar pares de convites para o Sirena de Campos do Jordão? Vai lá no ELES 3!

Comentários via Facebook

10 comentários

  1. Thais

    Fikadika! Vou tentar ir, agora eu e o grupo estamos fazendo várias caravanas para assistir peças!

    Bjsssssssssss

    Responder
  2. Nigro

    Eu nem tento mais convidar ninguém, nem para o cinema nem para o teatro. Odeio ter que ficar justificando o objetivo das coisas quando ele é bem claro…

    P.S: Na foto do post anterior você (era você, certo?) ficou a cara da Lily Allen porém em excelente forma… espero que não tenha te ofendido xD

    Responder
  3. Marina

    Ótima dica!
    Certas pessoas não perdem a mania de dizer que não gosta do que não conhece. Parece criança dizendo que não gosta do que nunca comeu! :D
    E pena que a peça é aí em São Paulo… Você não sabe dizer se virão aqui pro Rio?
    Beijos e amei o blog!

    Responder
  4. Dani Danczuk

    Eu nunca fui ao teatro, por isso não digo que “não gosto”, nunca fui porque morava em uma cidade do interior lá em GO e quando tinha alguma coisa, era aqueles de colégio e coisa mais besta que tinha… rs ao menos eu achava.
    Aqui em Curitiba sempre tem, mas nunca fui, porque quando divulgam na tv, pelo que passa, não me interessa, parece chato as histórias, tem uns que parecem bons, mas quando fui ver o preço, quase caí pra trás, porque pra mim é caro pagar R$50,00 pra ver uma peça, eu não tenho grana pra isso.. haha E quando tem ator da globo é mais caro ainda.
    Masss espero um dia ter grana sobrando pra ir pelo menos uma vez… rs
    Beijos

    Responder
  5. marjory

    bem ja a peças de teatro sim
    mas eu nao gosto de teatro

    Responder
  6. Jey

    eu acho teatro a coisa mais linda, só que eu raramente vou, quando vou é ao teatro de minha cidade, e pago 10,00 pra ver as peças! :D

    Responder
  7. Leninha Lima

    Não poderia deixar de ver e ama Teatro!

    Cresci nos bastidores de muitos deles aqui em Recife, acompanhando minha madrinha!

    Acho-o a arte completa! Perfeita!

    Amo, mesmo!

    Beijinhos e até

    Responder
  8. carol

    Efeitos especiais me enojam.
    Muito.
    Resumo efeitos especiais em falta de um bom roteirista.
    Faltou um bom roteiro?
    Mete efeito especial que a galerinha “não-entendo-de-cinema-mas-vou-quando-não-tenho-nada-pra-fazer” vai gostar!
    Enfim, de uma forma estranha odeio comédias no cinema e amo comédias no palco.
    Principalmente ácidas como as de Melamed.
    E achei que era a única a notar dublagem em paisá.
    Hahaha.

    Responder
  9. jey

    gata deicha que eu pago pra vc se vc quiser namorar comigo e claro

    Responder
  10. jefferson

    VC não me conhece tentei formar na minha cidade do interior de sao paulo,um grupo.

    MAS eles nunca viram uma peça de teatro na vida.
    ou pelo menos uma peça de qualidade…

    só que o maior culpado pelo desinteresse por essa arte ,na minha opinião é o governo.

    eles são os que mais desestimulam o abondono,de tais atividades culturais.

    talvez para que sobre mais dinheiro no bolso deles.

    email:jeferson_cdaniel@yahoo.com.br

    Responder

Deixe seu comentário